ACESSAR ÁREA DO CLIENTE

PROPRIETÁRIOS E INQUILINOS
ACESSAR Não tem acesso? Entre em contato e solicite seus dados de acesso SOLICITAR
18 DE dezembro DE 2014
Conheça as comidas típicas do Paraná em Curitiba
Conheça as comidas típicas do Paraná em Curitiba

Chegou em Curitiba e está querendo se adaptar aos  ~costumes~ locais? É, a capital está cada vez mais cosmopolita e possui uma diversidade de culturas bem grande, mas ainda assim você consegue encontrar meios de entrar na cultura curitibana mais tradicional. Um dos melhores são as comidas típicas de Curitiba, vai por nós: são muuuito boas. Se liga nessa lista.

 

Barreado

Sim, nós sabemos, não é e-xa-ta-men-te curitibano. Quem veio do litoral, mais especificamente de Morretes ou de cidades mais perto, conhece bem esse prato. Mesmo assim, o barreado é bem comum na cultura da cidade. Uma dica: prepare-se, porque o prato é fundo.

O que é?

Carne bovina! Muita carne! Paleta, maminha, patinho, carne magra, carne de segunda. O que vale é ter muita carne bem temperada com louro, cebola, alho, toucinho, pimenta, cominho. Depois disso, é cozida até ficar tão macia que se desmancha toda, isso demora umas 20 horas na panela de barro. Então você pega seu prato fundo, coloca farinha de mandioca, coloca o barreado em cima, põe um arrozinho ali do lado, umas bananinhas da terra por cima e pronto. Mangiare felice! Geralmente o barreado é servido com vinho e uma cachaça de banana como aperitivo. Sério, não é porque somos curitibanos que estamos falando bem, o barreado é MUITO bom.


Carne de onça

Calma, não precisa ligar pro IBAMA, é carne de boi mesmo. U.U. O prato veio com a imigração alemã para a cidade, o nome original lá na terra da cerveja é Mett ou Hackepeter e era feita de carne de porco. Mas esqueça disso, a carne de onça é diferente.

O que é?

Primeiro precisamos falar que a carne é crua mesmo, mas nem precisa fazer essa cara, é uma delícia e é bem comum de encontrar nos bares da cidade. O preparo é simples, mas cada família faz de um jeito diferente. Você pode encontrar patinho ou coxão-mole crus e bem moídos, uma dose de conhaque, cebolinha, cebola picada, molho inglês, páprica, pimenta do reino, azeite de oliva e sal a gosto, depois de tudo bem misturado é colocada uma gema de ovo para ficar consistente. Fica ma-ra-vi-lho-so em pães e torradas como acompanhamento ou ainda como aperitivo.


Rollmops

AVISO: esse é para os fortes. Esse prato também veio da imigração alemã e região. Além do 7 a 1 na copa, os alemães trouxeram para a cultura curitibana outras iguarias que só os fortes conseguem engolir. Geralmente você encontra os rollmops prontos em conserva em jarras e vidros nos famosos botecos.


O que é?

Um pedaço de um peixe, geralmente sardinha, enrolado em torno de um pepino, cebola ou azeitona verde. O mais comum é na cebola, pois é muito encontrado em botecos e bares. O rollmops fica conservado em uma solução de água, vinagre branco, sal e açúcar, junto com rodelas de cebola, pimenta-preta e sementes de mostarda. Se você curte comidas com sabor bem forte, o rollmops é uma ótima pedida para um aperitivo. Só não se esqueça dos chicletes e da escova de dente, um cafezinho, e fazer um gargarejo depois. Como já falamos o prato é peixe e cebola no vinagre. Dica de amigo: não peça em encontros. MESMO.

 

Pinhão

Pinhão é bem conhecido por todo o estado do Paraná, e vamos combinar que outono sem pinhão não é outono bom. Todo ano quando esfria bem, começa a época do pinhão. Tem tanta coisa feita de pinhão hoje em dia que nem tem como listar tudo aqui, por isso resolvemos glorificar o pinhão na sua forma mais consumida, a semente.

O que é?

É a semente que cai da árvore típica do estado, a Araucária.  Essas árvores são bem altas, por isso lá por maio e junho bem no fim do outono, as sementes estão prontas para sair da árvore e se tornarem novas araucariazinhas cheias de amor e felicidade. Então as pinhas literalmente estouram para todos os lados e chove pinhão! Só não fique embaixo olhando, deve doer muito. Depois disso, as famílias paranaenses vão até a base da árvore, colhem essas pinhas e sementes gordinhas e cozinham com sal.

Depois disso tem o ritual de abrir o pinhão cozido com os dentes, comer a semente, que agora ficou macia e bem saborosa, em torno de uma mesa com a família e amigos. Outro jeito é assar os pinhões na chapa de ferro e comer eles salpicados com sal. Só de pensar, já deu saudades do outono.

 

Cachorro-quente de esquina

O famoso dogue, doguinho ou dogão. E o negócio aqui é sério, os cachorros-quentes de esquina são muito, muito bons, e podem ser encontrados nas praças e perto de baladas. Você não acredita neles até você morder o primeiro pedaço e ver unicórnios andando em arco-íris.

O que é?

Possui diversos tipos, formas e recheios. Com catupiry, com requeijão, cheddar, bacon, frango, vegetariano, maionese, mostarda, milho, ervilha, batata-palha. TUDO, mas tudo mesmo o que você tem direito e mais um pouco. São bem baratos e depois da balada são simplesmente inesquecíveis. Todo mundo que vem pra cá, precisa comer um dogue de esquina. Sempre importante lembrar que salsicha em curitibanês é vina. Logo, peça seu dogão com duas vinas, um abraço pro gaiteiro e bom apetite.

 

 

Name:
Email:
Subject:
Message:
x
MENU DO BLOG

BUSCA

MAIS POPULARES